Design Thinking: como ele pode te ajudar a inovar no seu negócio

O Design Thinking é um conjunto de ferramentas úteis para conhecer melhor o seu cliente e produzir produtos e serviços que ele queira comprar. Trata-se de uma técnica usada pelas empresas mais inovadoras do mundo e que pode ser facilmente adaptada para qualquer negócio. O primeiro princípio do Design Thinking é a empatia. Você precisa se colocar no lugar do cliente e entender o que ele realmente fala, faz, pensa e sente.

Fazer um questionário on-line não é suficiente. Você precisa fazer entrevistas que te ajudem a entender as histórias e sentimentos dessas pessoas.  Fazer observações, imersões, viver um dia como seu cliente vive para sentir na pele as suas dores e necessidades. Suponha que você queira abrir uma agência de marketing digital. Você deverá passar alguns dias dentro da empresa de um possível cliente, entendendo quais são as demandas dos clientes dele, quais são as maiores dificuldades que ele tem na gestão das redes sociais, qual é a demanda de conteúdo.

Além da empatia, o Design Thinking tem como princípio a experimentação. Nenhuma solução é implantada antes de ser testada. Suponha que você queira colocar um novo prato no cardápio do seu restaurante. Antes de investir na matéria-prima, atualizar os cardápios e fazer a divulgação, você pode apresentar o prato para alguns clientes, pedindo sua opinião sobre sabor, apresentação, preço, etc. O mesmo pode ser feito para serviços, com uso de protótipos de papel, por exemplo. Você faz um desenho, ou uma história em quadrinhos, contando para o cliente como será o novo serviço, pedindo suas opiniões e feedbacks. Dessa forma, você economiza tempo e dinheiro e ainda evita lançar algo que ninguém queira comprar.

Ainda, o processo de Design Thinking é altamente colaborativo. Você deve envolver todos de sua equipe na geração de ideias e não apenas os gestores. A heterogeneidade de formações e experiencias ajuda a gerar ideias em abundância, aumentando a riqueza dos resultados.

Usar o Design Thinking não é caro ou complexo, mas demanda esforço e vontade genuína de focar nas pessoas e no que é importante para elas. Isso muda a forma tradicional de gerenciar os negócios, nos quais criamos produtos e depois tentamos convencer o cliente ao comprar. Ao contrário, usando Design Thinking, você descobre o que realmente é importante para seus potenciais clientes, gera ideias de soluções, faz testes e só então lança novos produtos e serviços. Todos saem ganhando. Você economiza tempo, dinheiro e esforço e ganha mais ao deixar seus clientes satisfeitos com aquilo que eles realmente precisam.

Quer aprender na prática como usar o Design Thinking em seu negócio? Conheça o curso no IEL.

Design Thinking

Autora: Luciana Padovez

Fundadora da Sempreende, escola de Empreendedorismo
Doutoranda em Administração pela UnB.

Deixe uma resposta