setembro amarelo

Setembro amarelo e os mistérios do suicídio

Setembro amarelo é o mês de conscientização acerca dos mistérios do suicídio, que nos últimos 10 anos, o número de jovens e adolescentes no Brasil que tomam essa decisão vem aumentando cada vez mais. É muito comum quando falamos de uma pessoa depressiva, vir a mente a imagem de alguém chorando, cabisbaixo e até mesmo incapaz de sorrir. Correto? Se você respondeu que sim, isso pode ser um grande problema.

Há um alerta para esse problema de saúde que acaba não recebendo a atenção que deveria por conta do tabu social. Mas, como resolver esse problema se não falarmos dele? O setembro amarelo é uma forma de tentar entender e prevenir esse mal, que todos os dias leva cerca de 3 mil pessoas a cometer o suicídio.

É preciso estar atento, pois ao contrário do que todos imaginam, nem todas as pessoas que sofrem com a depressão, deixam transparecer seus sentimentos ou mesmo sinais em seu rosto. Pessoas prestes a cometer o suicídio em sua grande maioria têm hábitos e comportamentos completamente normais, são mulheres e homens bonitos, que trabalham e exibem um belo sorriso no rosto.

Só por aí podemos perceber o quanto somos leigos acerca do assunto. A campanha do setembro amarelo está aí justamente para isso, para quebrar esse tabu e quem sabe assim, salvar milhares de pessoas ao redor do mundo que sofrem em silêncio.

Setembro amarelo contra o silêncio desse mal

Fechar os olhos e os ouvidos para o alerta que o setembro amarelo nos traz é um grande perigo sobre o que é considerado o mal do século. A depressão é uma doença extremamente comum. E se você não sofre com ela, com certeza alguém do seu lado, por mais que não fale e não demonstre, está sofrendo em silêncio enquanto sorri pra você.

A depressão e o suicídio são patologias que podem afetar qualquer pessoa. Há quem acredite que as pessoas que falam em suicídio só estejam fazendo isso para chamar atenção, quando na verdade, isso pode ser um pedido de socorro. Algumas das frases mais comuns segundo Mônica Kother Macedo, psicanalista especializada em suicídio, afirma que uma das frases mais ouvidas por ela foram “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”.

Frases como essa são sinais de alerta, se ouvir alguém dizer uma dessas frases fique atento. A campanha do setembro amarelo também alerta para outros sinais como:

  • Deixar de fazer algo que gosta muito;
  • Desinteresse;
  • Depressão e drogas;
  • Adolescente que não consegue expressar seu sofrimento de uma forma clara;
  • Falta de interesse pela vida ou em outras pessoas;
  • Simulação de melhora.

Prevenção ainda é a melhor forma de combater esse mal. Se você identificar alguma pessoa com algum desses sinais, converse com ela e não a deixe sozinha. A maioria dessas pessoas só precisa ser ouvida. E conte sempre com a ajuda de um profissional especializado.

Um comentário sobre “Setembro amarelo e os mistérios do suicídio

Deixe uma resposta